“O Pai de Família” de Diderot: Uma Versão Portuguesa do Século XVIII

Autores

Sérgio de Carvalho
(Organizador)
Universidade de São Paulo. Teatro da Universidade de São Paulo

Sinopse

A edição portuguesa da peça O pai de família, de Diderot, publicada em Lisboa em 1788, permanecia inacessível até que a equipe do Teatro da USP (o TUSP), em março de 2020, encomendasse uma fotocópia ao único arquivo que registrava um exemplar em seu acervo, o da Biblioteca Nacional da Austrália. A iniciativa do TUSP, que cuidou dos custos da reprodução, motivou a biblioteca australiana a tornar pública sua joia rara. A atual publicação do TUSP permite um primeiro acesso em língua portuguesa ao texto, enquanto uma tradução moderna está por ser feita. O documento, por outro lado, é um testemunho importante sobre o teatro de Portugal do século 18, tão pouco estudado no Brasil. A publicação do TUSP convida à leitura do pensamento teatral de um filósofo-dramaturgo perseguido em seu tempo, e de pouca presença nos estudos teatrais no Brasil, ainda que tenha muito a dizer sobre nossas dificuldades históricas em realizar tanto quadros verdadeiros como dramas complexos, na medida em que essa forma pede interações dialogantes entre pessoas diferentes que, de algum modo, precisam se compreender como sujeitos da história.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Capa para “O Pai de Família” de Diderot: Uma Versão Portuguesa do Século XVIII

Detalhes sobre essa publicação

ISBN-13 (15)
978-65-88699-00-3